26 de dezembro de 2013

ASSUMINDO (Ano novo)

Chega mais!
Onde estamos?
Localizou-se!
Pois é!
ESPERAR PELO PIOR?
Existem aqueles que
sempre estão atentos
para o que vem de pior. 
Como pode?
Dizer que crê no melhor,
 mas esta atenta
sempre pro pior. 
Estranhíssimo!
Prestes á um 
"botijão explodir".
Tá doido!

Posso estar louca
 ou mal informada
ou isso... ou aquilo.
Como poderei esperar
 sempre pelo pior
se penso,
sinto,
creio,
espero,
anseio,
desejo
e quero sempre
"O MELHOR"

Não faz sentido.
Taças cheias ou vazias,
sempre são pro meu melhor.


Duvido que eu possa querer
 ao contrário disso.
Faz parte de minha personalidade.
Construir minhas realidades.
Permeiar meus sonhos, 
intentos e cotidiano natural.

O melhor em tudo 
não significa rigidez.
Até o "Bambú"
 tem sua flexibilidade.
O tempo nos ensina, muito bem.
As pessoas,
 situações e vivencias também.

SEI QUE MEU NOVO ANO 
SERÁ EMOCIONANTE.
Uma "uva" por vez.

Com novas
 experiências e evoluções.
Novos cenários e renovações.
Emoções de
 conquistas e revoluções.

Novas pessoas pra se amar.
Novas pessoas á se conhecer.
Aprender á voar.
Tudo de ruim
 transformando-se pro melhor.
Certos ou errados,
 sempre pro melhor.
Pro meu bem.
Pro meu ser eternizar.
Lavar a alma de consentimentos.
Trazer pra palavra 
novos pensamentos.
Amar o que 
não se amou ainda.
Deixar pra traz a correria.
Ser, ter e "estar",
situações bem vindas!

Viver intensamente um

FELIZ 
"MELHOR dos MELHORES"
 ANO NOVO!

(By Sonia Soares Sciarretta)


A MOEDA SORRIDENTE (Jeff)

A realização superior do bom humor
é muito bem vinda, sempre!
Volto á sorrir!

Sua autêntica rizada
é arte viva e delícia caprichada.



Muito mais inesquecível... é a grandeza 
do intenso riso que vem da sua consciência.

Sensações e ciclos de euforia,
 viajando pelas idéias otimistas da alegria.

Riqueza da vida, beleza e ousadia.
Disposição para uma estrela, 
um artista.

Espetacular magia,
 trazendo  alegremente
o essencial glamour 
pra tanta gente.

Como uma moeda 
de "cara e coroa".
De um lado, sorrisos largos,
no verso também lábios esticados.

(Te amo Jeff, filho querido)
Série: Homenagem

(By Sonia Soares Sciarretta)






18 de dezembro de 2013

ME ESCOLHO! (Refletindo mais um ano novo)

Simples assim!
Longevidade de pensamentos
que acrescentei no coração.
Formando minha opinião.
Daria tudo para acertar sempre.
Sou criadora de memórias eternas?
Claro que sim!
Lembranças... permanentes.
Tudo vai acontecer
conforme o critério que darei.
O fundamental é o meu isolamento
 dos outros pelo que sinto.
Criando minhas próprias vidas
e minhas próprias mortes.
Conseguindo vidas compatíveis
com o meu vivenciar.
Crio, algumas vezes, 
um forte competidor de pensamentos.
Lagartos,
cobras,
aranhas e
minhocas 
do cérebro humano.
Milhares de anos não bastam.
As linhagens por onde passo.
Na corrida do esplendor
e genéricos de minhas atitudes.
Cruzando-me 
com as formas de viver.
Animais, plantas , pedras
e essências da natureza.
Tirando dores ilusórias.
Convivo só o amor.
Paz e olhar...
Ah! o olhar aberto.
Bromélias de energias,
capitando metamorfoses dos
sentidos e afinidades.
A distancia não parece mais importante.
Tudo esta ao alcance.
Territórios dos novos conhecimentos
me visitam a noite.
Financio meus desejos,
querendo ainda mais e 
solando mantras na alma,
chamando a calma disciplinar.
O aumento de minha qualidade 
de vida e a qualidade de
aprendizado está diretamente
ligado ao tempo atual.
Tão contemporâneo possível.
Tenho, respostas positivas.
Amadurecimento.
Descobridora de mim mesma.
Universidade de humor.
Universal na alegria que contagia.
Vida na vida.
Eu,
me escolho!

(By Sonia Soares Sciarretta)


9 de dezembro de 2013

CASAL NO NATAL

Poucos valorizam o vínculo
de um momento inesquecível, 
totalmente planejado.

Nossa segurança passou á ser
um conceito vago.
No Natal de 2011 foi
o término de um ciclo
e o início de um outro.
Em menos de uma semana
de um novo ano.

O natural seria planos e desejos
serem valorizados 
entre os fogos da virada.

Nós, casal e um talento primoroso.
Sós á mesa.
Sem badalação ou
aglomerado familiar.
Sós á mesa.
Reconhecermos um ao outro.
Desvinculando nossas mentes
do relógio.
Aproveitando a oportunidade 
e permitindo-se
observar o relacionamento.
Como estava, de onde viemos 
e seu trajeto.

Nós dois á mesa
de nosso Natal.
Coisas prediletas,
fidelidade nas conversas e
bem humoradas.

Recordando "Zilhões" de momentos,
combinados com "Zilhões" de beijos.

Gaiolas da ignorância abertas
com reconhecimentos.

Mas só isso mesmo?
- Sim!
Sós á mesa,
com nosso amor suficiente.

Construindo nosso momento...
preservando nossa mesa de Natal.
Intensa.
Bonita.
Poética.
Livre, admirável e justa.

Simples assim...
Repaginando nossas vidas.

(By Sonia Soares Sciarretta)

6 de dezembro de 2013

MISANTROPIA NÃO FAZ AMIGOS

Assumo!
Já possui fragmentos 
de uma Misantropa.
Agora não mais.

Um dos sentimentos mais difíceis 
de serem administrados por vítimas
de violência física, emocional
e mental, cometidas por 
um ser humano...
 é o amor pela humanidade.

 Isso nos faz escolher 
entre sermos ou não dedicados,
cuidando de sí mesmo e
 á causas humanitárias. 
Ser um "FILANTROPO".
( Fazermos algo de concreto
 para modificar o sofrimento alheio
transformando-o  em bem estar.)

 Que multidões sejam amadas 
com naturalidade
 e colaboração individual marcante. 
Obviamente 
as organizações humanitárias,
 diminuem o dilema
 daqueles desafortunados 
que estão em situações difíceis. 

 Podemos fazer parte 
desses movimentos de amor.
 Sendo um voluntário independente.

 Ter iniciativas próprias... 
quem sabe passar pelo papel de 
"Papai Noel oculto". 
Ou até mesmo ajudando em projetos
 ou alguma campanha social.
Ler livros para crianças.
 Ajudar financeiramente um orfanato.
 Visitar idosos e doentes. 
Oferecer um Panetone ao seu vizinho.
 Postar lindas mensagens virtuais 
á quem não conhece. 
Abraçar o comerciante da loja que
frequentou o ano inteiro.
Oferecer ração á um animal de rua.

Amar sem limites.
"Amor á humanidade"
REINVENTAR-SE



Devemos dar nossa parcela de colaboração.

Você possui espírito FILANTROPO?

"MISANTROPIA" 
(significa aversão social, isolamento, 
antipatia á humanidade e solidão)

(By Sonia Soares Sciarretta)



5 de dezembro de 2013

DESCONSIDERAÇÃO (Inimigos)

Existem formas de tratamentos
que nos trazem frustrações 
em alguns momentos.
Basta vive-los.
Basta lembra-los.
Passam á colocar 
nossas idéias em desequilíbrio,
manchando o verdadeiro 
sentimento puro e seu brilho.
Me retraio.
Impera então a distância
e o silêncio passa á ser
regra principal.
Sou dotada de uma riqueza 
de calor humano,
mas diante de tudo isso,
 assumo a indiferença,
como uma casa sem endereço.
Abrevio amizades...
 até mesmo familiares.
Destino á aurora
 do esquecimento.
Remetente da 
caixa postal do "em vão".
Primorosamente descompassado.
O mau é azulejado.
Esquecido no baú acimentado.
Faço de você um
"D e s c o n s i d e r a d o"

Incrivelmente a vida se repete.

(Série: LISTA NEGRA) (By Sonia Soares Sciarretta)






2 de dezembro de 2013

PÉROLA VIVA Iolanda)


Um simbolo lindo do Universo.
Vida de uma concha se faz presente.
Caçando a alma da natureza.
Envolta a momentos inexplicáveis,
mas sempre tão abençoados
e envolvidos por uma jovialidade.
Conto com um anjo amigo em meus dias.
Coberta de generosidade...
faz-me amparada pela cordialidade.
Por nada eu te perderia.
Joia valiosa e querida.
Nesta nossa visão distinta
que cada uma delira,
és caminho real como uma grande lua.
Amiga encantadora, "Pérola" viva e pura.
(Á amiga Iolanda)
(Série: Homenagem)

(By Sonia Soares Sciarretta)

30 de novembro de 2013

"PREZADO FULANO" (Amigos virtuais)

Introdução de julgamentos pessoais.
Sem referências ou
 carta de apresentação.
Desprovido de "curriculum vitae",
sem objetividade
 ou qualquer exatidão.
Seu perfil deve conter dados, 
tipo graduação.
Destaque de sua especialização.
Comentários, formulários, 
listagem e anotação.
Regência do que gosta 
até mesmo o rigor de uma fofoca.


Pessoa singular,
 supostamente assim... ilimitado.
Depende muito da confraternização.
Afinidade ou comentário.
Vou aprimorando a cada dia,
toda essa realização.
Talvez "curtindo" ou não.

AMIGO VIRTUAL
Crescendo um fenômeno preferencial.

Querido "FULANO DE TAL" estou feliz
celebrando experiência incomum.

Milagre SENSACIONAL imediatista
com algum conteúdo e imagem futurista.

Assim nosso "Universo" se completa.
Os que conheço pessoalmente
e os que prezo na "rede" com certeza.
Beijãoooooooooooooooooo

(Série: Homenagem)
(Á meus amigos virtuais)

(By Sonia Soares Sciarretta)




27 de novembro de 2013

REGÊNCIA DA PAISAGEM (Janela 2)

Janelas alheias, 
abertas para cópias.
Nada de novo,
 sempre tudo igual.
Pessoas vivendo em entrelinhas,
escondidas nas decepções.
Vampiros  carregando sensações.
Vou lá... e apago tudo.
Abre-se então a janela de minha alma.
Sou quem controla e domina.

O amor que vibra reagindo no peito.
Valorizando a espiral do ar fresco.

Evoluindo unicamente á meu pedido.
Contente puxando pro ninho.

No aconchego do abraço.
No espaço de meu espaço.

Céu azul acompanhado de belo astral,
estando em mim, afinal !
Distinguindo meu lar original.

(By Sonia Soares Sciarretta)


26 de novembro de 2013

VELOCIDADE MÍNIMA (Bom humor)

         Quanto tempo temos para viver?
Quais os momentos mais importantes?
Qual é a velocidade ideal para nossas tarefas?

Atualmente existem pessoas
valorizando cada vez mais, a lentidão.
Procurando prioritariamente 
o que realmente nos faz sentido.
Desapegando-se da correria desvairada.

Interessante é
 a introdução de coisas diferentes
em nosso cotidiano.
Atividades inusitadas sob vários
pontos de vista, como um
"Caleidoscópio".

Ousando.
Esquecendo erros passados.
Fazendo o que nos agrada.
Aprendendo á utilizar interiormente
e emocionalmente nossa própria
"Bússola".

As coisas simples vivenciadas.
As diferenças compartilhadas.
Amanhecer em nossa sensibilidade.
Encontrar tesouros maravilhosos
nas pessoas que amamos.


Só as experiências pessoais 
nos ensinará a diferença entre
o preço das coisas 
e seu real valor.

Em que estação estamos na vida?
Primavera?
Outono?
Verão?
Inverno?

Desligue-se do 
"Controle remoto".
Ainda existem infinitas possibilidades.

(By Sonia Soares Sciarretta)


25 de novembro de 2013

INCÓGNITA

Um círculo vicioso
 norteia o meu caminhar.
Como um estilete,
 removendo do meio familiar.
Pessoas de sangue
que não voltam mais.
Modos desproporcionais, 
exagerados e egocêntricos.
Invertendo valores da vida.
Desanimando 
relacionamentos e ânimos.
"Hidra" multi-cabeças.
Tornando pai e irmão
 mórbidos humanos.
Tornando meu instinto amoroso,
em eterno desperdício.
Esse estilete
 incisório de minha vida.
Pontua um vivenciar tóxico.
Vai... elimino, mas volta.
Com a mesma pessoa ou outra.
Aterrizando novamente à toa.
Esse círculo vicioso me açoita.
Peçonha engarrafada.
Como um vírus me maltrata.
Foi-se meu pai.
Foi-se meu irmão.
Mortos ainda vivos,
 distantes de meu coração.
Agora esse meu maior inimigo
diante de mim.
Trancado dentro do armário
"Peiú" me apontando o segredo.
Dentre lágrimas de desespero
peço ajuda á quem esta ver.
Por favor me ajudem
descifrar essa incógnita.
Porque também meu 
bem querer?

(Série: LISTA NEGRA)
(By Sonia Soares Sciarretta)


22 de novembro de 2013

INVESTIR NO MEU PODER (margaridas)

Refletindo novamente.
Não tenho contrato de imunidade.
Dentre tantas pessoas 
posso ser o melhor pra mim.
Encontrarei uma forma.
Eu me mereço!
Insistindo, persistindo
vou me superar.
Não vou esmorecer.
Acredito nas inovações de minhas idéias.
Tenho a capacidade de investir 
e colocar em pé minhas idéias
mais impossíveis.
Consagrar-me a felizarda!
Celebrar minhas vitórias.
Eu me conheço.
Eu me tenho... como referência.
Não, não, não é meu ego liderando.
Conheço-me de perto e de longe.
Sou eu que me reverencio.
Sou eu que faço 
meu horizonte perfeito.
Minha luz é a natural pra mim.
Investir no meu poder é assim.
Eu comigo ou
Eu pra mim.


As transformações da vida,
ocorrem em mim,
no ambiente do coração.
Dentro de mim.
Fora de mim.
Universalmente
feito carmim.
Intensa!

(By Sonia Soares Sciarretta)


21 de novembro de 2013

EXCLUSIVA (Flor de um dia)


Como num conto de fadas surgiu.
Linda imagem desta flor desconhecida.
Dentre tantas flores crescendo 
veio surgir nesta metrópole, Campinas.
Externando maravilhosas cores.
Acabando brevemente a lindeza, 
 fechando-se pra sempre
 diante da natureza.

(By Sonia Soares Sciarretta)



20 de novembro de 2013

CORAÇÃO DE MULHER (Tulipas)

Coração amontoado.
Está aliado aos meus sentimentos.
Permito que as emoções afetem você.
Minhas direções padecem seu físico.
Nutrindo vinganças e
 acidez de  pensamentos apertados.
Célula por célula lesada pelos problemas.
Porque sou tão autoritária?
Supero inspirações de outros?
Mentindo pra você coração.
Incomodando meu viver
 com uma bela intenção.
Inflexibilidade
 de minha fingida libertação.


Analisando a atual conjuntura.
A vida passa... acalma minha amargura.
Terei que mover o tempo perdido.
Envolvendo o bem-estar mantendo equilíbrio.
Margear o fundo de mim mesma,
respeitando o bater dessa fortaleza.
Capturar a felicidade, relaxar e
encapsular com extras de liberdade.
Nesses meus novos momentos
quando eu me torno fluídica,
e intensa para sempre.

Exijo menos da vida!

(By Sonia Soares Sciarretta)



19 de novembro de 2013

HEMISFÉRIOS CEREBRAIS (Dualidade)

Ora esquerdo.
Ora direito.

Estudos em movimento,
conseguem suas teses e análises.
   
As respostas confirmadas,
nas funções cerebrais exploradas.

Deste comportamento imprevisível.
Desta maneira de pensar invisível.
Desenvolvimento pessoal
e coisa e tal.

O que devo desenvolver?
Esta minha maneira de ser?

Harmonizar o aborrecimento do dia
com as alegrias que me predomina?

Estou cheia de deficiências.
Caracterizando em mim a inteligencia.
Falo, gesticulo, danço e perambulo
pelas minhas dificuldades.
Sinto muito!

Não acumulo medos desordenados, 
muito menos conflitos exagerados.

Colecionei muitos problemas emocionais.
Dentro do Baú "tarde demais".

Mas joguei pela janela dos fatos.
Não sobrou nada ... nem os patos.

Nem penso em subterfúgios.
Drogar-me gerando confucios?
Nem penso... nesses subterfúgios!

Detalhes ocultos
 ou uma aparente amplidão.
Do correio à meditação.

Aventurando-me novamente?
Ou utilizando banguela irreverente?

Girando uma volta total ,
 desta minha visão parcial.

Parar no tempo emburrada
 ou vibrar pela essência alcançada.
Que partida corajosa!

Vou arrancar do cérebro
 as evidências.
Neste ponto de partida
 minhas próprias exigências.
Sem chateações no esquerdo,
nem amolações no hemisfério direito.

(By Sonia Soares Sciarretta)


19 de outubro de 2013

CHOVENDO FELICIDADE (Ano novo)

A vida tem que seguir
seja como for,
não importando o placar,
chovendo pra variar.

Pingos de alegrias,
raios sem economias.
Protejo-me das rajadas
dessa intensa tromba d'água.

Abrigo-me de coragem
as vezes até acanhada.
Encharcando meus pés
conduzindo hidro afetos.
Desviando-me dos buracos
e seus alívios variados.

Essas pistas estratégicas
faz-me caminhar com segurança
minha imaginação tem força.
Abrem-se os portões da crenças.
Tem minha permissão de estréia.

Passeando de rosto molhado
e minhas vestes encharcando,
com milhões de gotas, num caldo
como um banho almiscarado.
Gostoso! Delirado!

Memorável e refrescante.
Paradoxal e marcante.
Lembrando... passeio pelo parque.
Paciência sem prazo de validade.

Eu me assumo,
chovendo felicidade.

Alegria intencional ou manifestada.
Códigos e anotações 
de uma nuvem clara.
Usuária de guarda-chuvas 
isso é pura ilusão.
Não, não é chuva de arroz,
pétalas de flores ou
papel picado.
Está chovendo emoções
 regando o coração?
Sim, neste instante de nobre efusão.
Está chovendo felicidade.
Fabricando trovões.
Copiando o pipilar de pavões.
Quando essa mesma chuva alegre brilhar,
verei o arco-iris chegar.
Acentuando o sol na gente.
De felicidade efervescente.

(By Sonia Soares Sciarretta)