28 de junho de 2011

AUGUSTO CURY

"Muitos trabalham e trabalham sem parar. Quanto mais acumulam capital mais precisam trabalhar para manter o padrão e pagar o que têm. Nunca desfrutam do seu sucesso. Vivem uma eterna fadiga em uma existência brevíssima. Se vivêssemos mil anos, valeria a pena gastar cem anos trabalhando como um louco, mas se vivemos oitenta anos em média, é loucura trabalhar sem parar. Planejar o prazer, os sonhos, os projetos,  fundamental. Mas desprezamos a busca pela excelência da qualidade de vida. Procurar a excelência efetiva, intelectual, social ,profissional, deveria ser a meta de todo ser humano. Procurá-la não é viver a paranoia de ser o número um. Não é desejar obsessivamente ser o melhor para ser o centro das atenções sociais. Mas dar o melhor que temos para irrigar a nós mesmos e a nossa família, escola, amigos. Quem não busca a excelência vive nas tramas do individualismo. Pensa muito mais em si mesmo do que nos outros.Procurar a excelência é treinar nosso intelecto para trazer à tona o ouro que se esconde no terreno acidentado das nossas dificuldades e limitações."
Trecho do texto: "O Código da Inteligência" - Augusto Cury





(A imagem pertence a este Blog)